Trabalho em grupo: quais os pontos mais importantes desse tipo de dinâmica?

Fonte: Blog Programa Semente



Em atividades colaborativas, é fundamental ouvir posicionamentos divergentes e saber se posicionar com assertividade



Nas escolas e nos ambientes profissionais, o trabalho em grupo é indispensável. “Sempre gosto de usar uma máxima de Aristóteles, que dizia que o ser humano é um ser social. Isso significa que nós nascemos para viver em grupo e, portanto, o trabalho coletivo é uma característica inerente à humanidade”, explica Eduardo Calbucci, o Bucci, professor e CEO da Semente Educação. Apesar de ser uma disposição natural, o trabalho em grupo ainda pode ser visto por algumas pessoas como um desafio ou, talvez, como uma tarefa estressante. Por isso, é importante saber a melhor forma de se posicionar, de ouvir os colegas atentamente e de compreender as vantagens que o trabalho colaborativo pode trazer.





Como lidar com opiniões divergentes nos trabalhos em grupo?

Em um grupo, cada indivíduo possui as próprias opiniões, desejos e crenças. Na prática, é isso que enriquece a atividade. “O que talvez seja fundamental é que as pessoas percebam que, na maior parte das vezes, essas opiniões divergentes são relevantes, porque, quando as pessoas olham o mesmo objeto de pontos de vista diferentes, que se somam e se completam, há muito mais chance de conseguirem ter uma visão mais totalizadora”, comenta Bucci. Daí vem a importância da lógica da reciprocidade. Essencialmente, se alguém tem o direito de opinar, deve fazer o mesmo pelo outro, demonstrando empatia, respeito, paciência e buscando ao máximo compreender a perspectiva alheia. Isso não indica uma obrigação de concordar com o ponto apresentado, mas sim de estabelecer um espaço para o diálogo. Quando as pessoas têm a capacidade de se colocar no lugar dos outros e respeitar as opiniões contrárias, os ambientes se tornam mais harmônicos. As principais competências socioemocionais que contribuem para isso estão na família da amabilidade, composta pelo respeito, pela empatia e pela confiança.

O que não fazer nos trabalhos em grupo?

Nas interações, é necessário evitar comportamentos passivos ou agressivos. “Quando se age com passividade, na prática, você acaba evitando dar a própria opinião, supostamente para evitar um conflito. Quando se age com agressividade, você implode todas as pontes e dificulta a resolução pacífica dos conflitos”, esclarece Eduardo Calbucci.

Qual a melhor forma de agir nos trabalhos em grupo?

A melhor maneira de agir nos trabalhos em grupo é por meio da assertividade. Ao discordar de algum ponto, o indivíduo deve apontar a sua opinião com transparência e objetividade, sem demonstrar irritação, característica da agressividade, ou ficar isento, o que definiria uma abordagem passiva. “Isso, em geral, faz com que o outro se torne mais disponível para ouvir verdadeiramente o que temos a dizer”. “Essa capacidade de se colocar no lugar das outras pessoas, de agir com reciprocidade, é, sem dúvida alguma, o mais relevante. E, quando precisar se colocar, fazer isso com assertividade”, finaliza Bucci.


Alunos protagonistas e prontos para criar grandes oportunidades.

Somos a melhor escola do eixo Raposo Tavares, na região do Butantã e Granja Viana, para os estudantes e suas famílias. A educação integral do indivíduo (social, afetivo, físico, intelectual e cultural) tem o poder transformador na sua vida pessoal e na sua vida em sociedade para a construção de um mundo mais humano nas relações interpessoais e mais consciente nas suas escolhas.

Nossa prática norteia o respeito, a responsabilidade, a empatia, a ética, a inteligência emocional e o compromisso social.

Fale conosco e venha para o Colégio Giusto!



7 visualizações0 comentário